Notícia

O nutricionista e as práticas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
img 19 ago/2022

O nutricionista e as práticas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Os quatro primeiros Objetivos de Desenvolvimento Sustentável são: Erradicação da Pobreza; Fome Zero; Saúde e Bem-estar e Educação de Qualidade e estão diretamente relacionados ao trabalho do profissional nutricionista

Um planeta melhor onde todas as pessoas possam viver sem a fome e a miséria, que tenha políticas voltadas para as questões socioambientais e faça bom uso dos recursos naturais. Uma ideologia difícil, mas não impossível. E por acreditar que é tangível, a Organização das Nações Unidas (ONU) lançou em 2015 a Agenda 2030, um plano para países, empresas, instituições e sociedade civil trabalharem 17 objetivos ligados diretamente ao desenvolvimento sustentável do planeta.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), quem em suma, pretendem assegurar os direitos humanos, acabar com a pobreza, lutar contra a desigualdade e a injustiça, agir contra as mudanças climáticas, bem como enfrentar outros grandes desafios de nossos tempos.

Os quatro primeiros Objetivos de Desenvolvimento Sustentável são: Erradicação da Pobreza; Fome Zero; Saúde e Bem-estar e Educação de Qualidade e estão diretamente relacionados ao trabalho do profissional nutricionista.

Comprometido com o seu papel na busca por alcançar esses objetivos, o Conselho Regional de Nutricionistas 3ª Região (SP e MS) assume o compromisso e a responsabilidade social junto a empresas e organizações. É o que explica a nutricionista Laura Alonso, conselheira do CRN-3. “Os profissionais nutricionistas têm um importante papel dentro das instituições no que diz respeito a redução do desperdício dentro do ambiente de trabalho contribuindo de várias formas. Quando trabalha para melhorar os fluxos de processos ou quando valoriza o pequeno agricultor, por exemplo. Em resumo, ele pode auxiliar as empresas a fazerem escolhas melhores, mais conscientes e sustentáveis.”

Ainda segundo a conselheira, a atuação de nutricionistas em políticas públicas é fundamental para fomentar e realizar ações para uma alimentação de qualidade e saudável. “O profissional pode atuar frente às políticas públicas, promovendo mudanças expressivas relacionadas à alimentação e ao acesso a alimentos saudáveis de maneira recorrente para que as pessoas realmente tenham dignidade na sua alimentação”, explica.

Falando sobre a importância da alimentação no contexto da educação, Laura Alonso salienta a relação entre os dois e como o profissional de nutrição pode auxiliar para que caminhem em sintonia. “Uma criança com fome não vai conseguir aprender e estudar com qualidade. Por isso garantir uma boa alimentação para quem está na escola é fundamental. Não podemos esquecer também da importância do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) que oferece alimentação escolar e ações de educação alimentar e nutricional para os estudantes e que conta com a contribuição de profissionais e especialistas em nutrição.”

Para conhecer os demais Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, acesse: https://brasil.un.org/pt-br/sdgs

 

 

Texto: kamila Aleixo 

Edição: Tersandro Vilela