Notícia

Nem toda gordura é ruim: descubra as diferenças
img 14 dez/2021

Nem toda gordura é ruim: descubra as diferenças

Durante anos, a palavra “gordura” está associada como algo ruim e desagradável ao nosso ao organismo, como se fosse a vilã da alimentação saudável. Mas a ciência provou que não é bem assim. Apesar de a gordura, em excesso, poder ser prejudicial, ela também é necessária para um organismo saudável, conforme aponta Priscila Moreira, nutricionsita e conselheira do CRN-3. 

Toda gordura é ruim?

Na verdade, as gorduras são nutrientes importantes para várias funções do nosso
organismo, como o fornecimento de energia, produção de hormônios e absorção de vitaminas.

Quais gorduras são ruins?

Antes classificá-las como ruins, precisamos compreender que, desde que a quantidade seja adequada e equilibrada, nenhum nutriente ou alimento é ruim. Porém, quando em excesso, gorduras saturadas e gorduras trans exercem efeito nocivo à saúde, contribuindo com surgimento e agravo de doenças metabólicas e cardiovasculares. Essas gorduras estão presentes em alimentos de origem animal, como carne, leite e ovos, e no óleo de coco e palma, e em alimentos industrializados, na forma de gordura vegetal hidrogenada.

É importante destacar que a quantidade de gordura saturada indicada pode variar de acordo com a avaliação do nutricionista sobre os fatores de risco que observar, podendo variar entre 5 a 10% do valor energético total da dieta. Já as gorduras trans, não possuem recomendação, sendo indicado a exclusão total da dieta.

Quais são as gorduras boas?

As gorduras boas são as mono e polinsaturadas, presentes nos alimentos de origem vegetal como sementes, castanhas e oleaginosas, óleos vegetais, azeites de oliva, abacate e peixes de águas frias.

Quais os benefícios das "gorduras do bem"?

As gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas atuam como importantes antioxidantes e anti-inflamatórios naturais, contribuem com o controle de colesterol e triglicérides sanguíneo, protegem a saúde cardiovascular e metabólica.