Notícia

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial
img 26 abr/2022

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial

Chamamos de pressão alta ou hipertensão arterial quando a pressão que o sangue faz na parede das artérias é muito forte, ficando acima dos limites considerados normais: Pressão Arterial Sistólica (PAS) maior ou igual a 140 mmHg e/ou Pressão Arterial Diastólica (PAD) maior ou igual a

90 mmHg. A ingestão elevada de sódio tem se mostrado um fator de risco para a elevação da pressão arterial, e consequentemente, da maior prevalência de hipertensão. De maneira inversa, o aumento na ingestão de potássio reduz os níveis pressóricos, justificando a importância de manter uma dieta equilibrada, onde o consumo de frutas, legumes, verduras sementes e cereais integrais, estejam presentes diariamente.

Dados publicados pelo Vigitel 2021 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) cujo objetivo é monitorar a frequência e a distribuição dos principais fatores de risco e de proteção das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) em todas as capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, demonstrou aumento da incidência da hipertensão arterial (26,3%) e do sobrepeso

(57,2%) e da obesidade (22,4%), em paralelo com 18,2% das pessoas tendo consumido 5 ou mais ultraprocessados no dia anterior ao inquérito, 14% consumindo refrigerantes ou sucos artificiais em 5 ou mais vezes por semana, 1 em cada 6 adultos não fazendo nenhuma atividade física, e 66% da população com mais de 3 horas diárias em frente a telas.

Para a prevenção e tratamento da hipertensão arterial recomenda-se limitar o consumo de carnes ultraprocessadas, como linguiça, salsicha, hambúrgueres, nuggets e stakes, molhos e condimentos artificiais, como molho shoyu, molho inglês, maionese, caldos concentrados, sopas e macarrão instantâneo, biscoitos e snaks salgados. Além da medidas dietéticas, a pratica de exercícios físicos é um forte aliado.