Notícia

Dia mundial da alimentação 2020
img 16 out/2020

Dia mundial da alimentação 2020

 

O Dia Mundial da Alimentação é comemorado em 16 de outubro, em celebração à criação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Todos os anos um tema é escolhido para incentivar a reflexão e os debates sobre as demandas mais relevantes naquele momento, no campo da alimentação mundial – tiraria esse parágrafo que já contemplamos no 1º. Post.

Em 2020, o tema destaca a necessidade de ações conjuntas de toda a sociedade para a promoção de sistemas alimentares sustentáveis e resilientes. Para contextualizar, a FAO relembra os mais de 2 bilhões de pessoas que não têm acesso a alimentos em quantidades suficientes, enquanto 14% dos alimentos produzidos perdem-se antes mesmos de serem comercializados. Ressalta a perda de biodiversidade devido a intensificação da produção alimentar, em conjunto com as alterações climáticas; e por fim, aponta a combinação de dietas pouco saudáveis e sedentarismo elevando as taxas de obesidade em todo o mundo1.

Em recente relatório publicado pela The Lancet, os cientistas nomearam de SINDEMIA GLOBAL a coexistência dessas três importantes pandemias, a obesidade, a desnutrição e as mudanças Climáticas. Esse fenômeno representaria o maior desafio atual porque interagem em seus impactos sobre a saúde dos indivíduos e do planeta. Compartilham determinantes que vêm dos sistemas alimentares, transporte, urbanismo e uso da terra; que, por sua vez, dependem dos sistemas naturais e são moldados por políticas, pela economia e por normas estabelecidas por mecanismos de governança2.

Segundo a FAO, a agricultura, silvicultura e outros usos da terra são responsáveis por cerca de 1/5 das emissões de gases que poluem o meio ambiente3. As mudanças climáticas, por sua vez, devido a eventos climáticos extremos, secas, poderão afetar a produção de alimentos comprometendo a segurança alimentar, elevando os índices de desnutrição. Similarmente, a desnutrição fetal e infantil aumenta o risco de obesidade na vida adulta. O enfrentamento dessa sindemia requer medidas estruturais para reorientar os sistemas alimentares, como políticas que priorizem práticas agrícolas sustentáveis, somados a medidas de governança, como o redirecionamento de tributos e subsídios2.

Ações sinérgicas que tenham efeito em pelo menos duas das pandemias podem contribuir de forma mais efetiva, para se alcançar a saúde e o bem-estar dos seres humanos e dos ambientes naturais dos quais somos dependentes2. Governos, sociedade e indivíduos, todos temos um papel a desempenhar.  Em nível individual, podemos contribuir fazendo escolhas saudáveis e consumo sustentável, reduzindo o desperdício de alimentos, exercendo pressão junto aos governos, empresas e organizações para que partilhem conhecimentos e apoiem sistemas alimentares e meios de subsistência sustentáveis e resilientes. Juntos, podemos cultivar, alimentar e preservar o nosso mundo1.

 Referências

1.       Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Dia Mundial da Alimentação 2020. Disponível em:  http://www.fao.org/3/ca9893pt/CA9893PT.pdf  Acesso em 30 de setembro de 2020.

 

2.       Swinburn BA, Kraak VI, Allender S. et al. The Global Syndemic of Obesity, Undernutrition, and Climate Change: The Lancet Commission report. The Lancet, 392 (10157), 2019. Documento traduzido pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, disponível em: https://alimentandopoliticas.org.br/wp-content/uploads/2019/10/Relat%C3%B3rio-Completo-The-Lancet.pdf.

 

3.       Food and Agriculture Organization of United Nations (FAO).  The state of food and agriculture: climate change, agriculture and food security.  Available in: http://www.fao.org/3/a-i6372e.pdf

 

 

 

 Por Osvaldinete Lopes, conselheira do CRN-3.