Notícia

CRN-3 promove evento sobre Segurança Alimentar e Nutricional dos Indígenas
img 10 dez/2019

CRN-3 promove evento sobre Segurança Alimentar e Nutricional dos Indígenas

O Conselho Regional de Nutricionistas da 3ª Região SP-MS (CRN-3) promoveu, nesta terça-feira (10/12), um evento para divulgar estudos sobre a cultura dos indígenas, principalmente no aspecto alimentar, e também discutir a Segurança Alimentar e Nutricional dos povos originários do Brasil frente à crescente urbanização do território. O encontro reúne profissionais da nutrição do estado de São Paulo, indígenas, representantes de conselhos de segurança alimentar e nutricional.

A nutricionista Dulce Ribas, professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e membro da atual gestão do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), ressaltou em sua palestra que a maior parte das famílias indígenas que estão no Estado de São Paulo atualmente migraram de outras regiões do Brasil. “As diferentes etnias que hoje habitam regiões da Grande São Paulo vieram de diversos ambientes tradicionais, onde tinham diferentes formas de interação e adaptação a natureza e modos de vida. ”

Dulce explica que “os indígenas, no território tradicional, têm diferentes padrões de alimentação para cada fase da vida. A falta de espaço para cultivo de alimentos leva a monotonia alimentar e escassez”. No Mato Grosso do Sul, a perda de território remonta aos anos 1930, e foi intensificada nas décadas de 1970 e 1980 pelo desmatamento. “A convivência em espaços exíguos impôs limitações ao modelo de território indígena”, conclui a nutricionista.

 

Alimentação escolar em MS

Maria Cristina Bignardi, conselheira do CRN-3, desenvolveu uma tese de mestrado sobre a alimentação escolar das escolas indígenas que atende as aldeias da etnia Terena no Município de Dois Irmãos do Buriti. A nutricionista explica que, por falta de conhecimento, o planejamento alimentar das escolas indígenas pouco difere das escolas não indígenas: há predomínio de ingredientes não tradicionais como o arroz, além de bolachas e biscoitos; há pouca disponibilidade de frutas, que são entregues semanalmente, então não há disponibilidade durante todos os dias da semana.

Cristina, que atua no Conselho de Alimentação Escolar do Estado do Mato Grosso do Sul ressalta que o controle social nem sempre é adequado devido à falta de capacitação dos conselheiros. A professora conseguiu conscientizar os gestores públicos sobre as atribuições do nutricionista na saúde e na educação, e garantiu a contratação de mais um profissional para atender a população do município. 

 

Presenças ilustres

Estiveram presentes no evento Claudio Carvalho, Presidente do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de São Paulo (Comusan-SP), e as conselheiras Rita Pinheiro e Marcia Thomazinho.As representantes da Comissão Regional de Segurança Alimentar e Nutricional da Grande São Paulo (CRSan) Cristiane Santos, de Francisco Morato e Karim Frohmut, de Ferraz de Vasconcelos. Jaciara Bertasi e Suzeli de Miranda, diretoras do CONSEA-SP. Marcia Cristina de Moraes, da Coordenadoria de desenvolvimento sustentável do Estado de SP. Iane Freitas da Silva, representante do Conselho Regional de Nutricionistas da 5ª Região - Bahia (CRN-5)