Notícia

A influência da comida indígena na formação da cozinha nacional
img 19 abr/2019

A influência da comida indígena na formação da cozinha nacional

Em 19 de abril é celebrado o Dia do Índio, data criada para lembrar e reforçar a identidade dos povos indígenas na história e cultura atual. O momento é propício para destacar a influência que eles também exerceram na formação da culinária nacional.

Nesse sentido, existem algumas publicações acadêmicas que trazem informações sobre a alimentação indígena, baseadas em antigos cronistas que, em sua maioria, a relataram com estranheza e preconceitos.

Em alguns de seus trabalhos, os autores Gilberto Freyre e Luis da Câmara Cascudo registraram as contribuições dos portugueses, africanos e indígenas na formação da culinária brasileira. Contudo, de acordo com Mártin César Tempass, esses autores passam a impressão de que os indígenas apenas forneceram ingredientes, como a mandioca, milho, batata, abóbora, amendoim, feijão, caju, cará, mamão e pimenta para a culinária brasileira, e que os demais componentes da culinária seriam portugueses e africanos. Mas, ao longo do texto desses autores, são encontradas observações que contrariam essa noção. São informações que indicam que os indígenas contribuíram muito além do que simples ingredientes.

Leia aqui o artigo completo da dra. Dulce Lopes Barboza Ribas. Dulce é nutricionista com experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em educação alimentar e nutricional, saúde de povos indígenas, avaliação nutricional e segurança alimentar e nutricional; doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo, com pós-doutorado em Antropologia da Saúde pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2010). Foi coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Populações Indígenas GEPPI/UFMS (2000 a 2016) e Membro da Comissão Intersetorial de Saúde Indígena (2017-2018). É conselheira suplente do Conselho Federal de Nutricionistas.